História Paróquia de Nossa Senhora das Graças e Santa Gemma Galgani

Em 11 de julho de 1955 graças ao esforço do Pe. João Píton, que na época era vigário de Abranches, aconteceu a nomeação oficial da comissão para construção da capela da Barreirinha, tendo como presidente o Sr. Estalislau Kovaleski.


Em 11 de julho de 1955 graças ao esforço do Pe. João Píton, que na época era vigário de Abranches, aconteceu a nomeação oficial da comissão para construção da capela da Barreirinha, tendo como presidente o Sr. Estalislau Kovaleski.

Em setembro de 1955 o governador do estado, Sr. Bento Munhoz Da Rocha Neto, em vias de construir um novo grupo escolar, doou a velha escola publica para a igreja da Barreirinha. A demolição da escola foi feita nos dias 6 e 7 de setembro daquele ano. A madeira velha e mais materiais complementares veio a servir para construir a capela, medindo 9,50x 17m. No dia 4 de dezembro de 1955, os moradores da Barreirinha puderam participar da benção da capela e da primeira Santa Missa, celebrada pelo Pe. João Píton, então já transferido da paróquia de Abranches, da qual a nova capela fazia parte.

Em 1954, o Sr. Alberto Ellender, proprietário do loteamento “planta Yara”, ofereceu um lote para a religião que quisesse construir um templo. Um grupo de católicos, sob a iniciativa do Sr. Alfredo R. Neumann resolveu aproveitar a oferta e ampliá-la por compra. Em dezembro de 1954 foi assinado pela comissão o contrato do terreno onde a igreja encontra-se construída.

A comunidade escolheu Santa Gemma Galgani como padroeira e o Pe. Bronislau kozlowski, propôs que houvesse duas padroeiras: Santa Gemma Galgani e Nossa Senhora das Graças. O decreto de ereção da paróquia de Nossa Senhora das Graças e Santa Gemma Galgani de Barreirinha, deu-se a 16 de novembro de 1965.